Perguntas Frequentes

 

A Fisiognomia (Leitura Facial) é uma ciência?

Não. Ela é uma “técnica”. Embora você possa encontrar vários sites ou livros afirmando que ela é uma ciência, ela não é. Atualmente há inúmeros trabalhos científicos que corroboram para a existência de uma relação entre o corpo e o comportamento. Estes trabalhos de pesquisa geralmente abordam uma pequena porção da face ou do corpo, tratando, por exemplo, da relação entre o formato da mandíbula e a agressividade, não existindo, portanto, um estudo científico conclusivo baseado na pesquisa de todos os traços faciais ao mesmo tempo, o que a meu ver, seria impossível dentro do paradigma científico atual, dado as variantes envolvidas neste tipo de pesquisa e a complexidade humana, que tende a ser extremamente simplificada dentro do método determinista da ciência cartesiana.

Por esta razão é que, em nossa visão, a Leitura Facial deve ser encarada como uma “técnica” construída a partir de estudos empíricos, de milhares de anos, de paradigma holístico e fundamentação em bases científicas, – no caso do método IBRAFIS – considerando as mais recentes pesquisas científicas que tratam da relação entre o corpo e o comportamento como corroboração.

A Fisiognomia (Leitura Facial) funciona?

Sim. A Leitura Facial, em sua aplicação correta, tem um acerto superior a 92% quando feita por um profissional. Como qualquer técnica ou método para a avaliação de características comportamentais, a Leitura Facial tem as suas aplicações e limitações.

Quando aplicada dentro da sua área de abrangência, a sua eficácia e sucesso são certos, mas, quando se tenta utilizá-la como uma panacéia, método de adivinhação, predição do futuro ou julgamento de índole, obviamente a sua eficácia decresce imediatamente, até o ponto de se tornar totalmente ineficaz, assim como acontece com qualquer outro método ou técnica que se proponha ser uma “bola de cristal”. 

É ético utilizar a Leitura Facial? Não corro o risco de estereotipar as pessoas?

 

É extremamente ético utilizar a Leitura Facial. A sua utilização, ao contrário do que se possa imaginar, contribui para que evitemos utilizar os estereótipos culturais e preconceitos aprendidos durante a nossa vida. Por acaso, já não lhe aconteceu de você conhecer uma pessoa e já de início não “ir com a cara dela”? Isto geralmente acontece por causa dos estereótipos culturais ou inconscientes que possuímos como base de valores em nossa mente.

Quando enxergamos numa outra pessoa aquilo que é reprimido em nós, é comum justificarmos que o nosso “anjo” não foi com o anjo dela. Um exemplo disso, é quando uma pessoa que é muito conservadora, racional e introvertida é apresentada a uma outra pessoa totalmente liberal, emocional e extrovertida. Inconscientemente, o cérebro das duas pessoas reconhece um certo perigo em ter que sair da sua zona de conforto para conviver e se adaptar ao estilo pessoal da outra pessoa, o que o faz gerar uma sensação instantânea de desconforto associado àquela pessoa. No meio corporativo isto é extremamente grave, e eleva muito os prejuízos no clima organizacional e na qualidade de vida em equipes.

Quando uma pessoa conhece e aplica a Leitura Facial, ela enxerga as outras pessoas em termos de potenciais e estilos pessoais que são todos positivos embora distintos, contribuindo para se perceber que as diferenças existentes entre uma outra pessoa e nós, são apenas características comportamentais complementares, que somadas ao nosso estilo pessoal nos impulsiona ao crescimento. 

O que a Fisiognomia analisa? Li em outros sites que através dela é possível prever o destino, saber se uma pessoa é honesta e que pessoas racistas ainda a utilizam para julgar pessoas, isso é verdade?

 

A Fisiognomia Analisa:

1. Fatores Comportamentais: A Fisiognomia visa mapear as competências comportamentais, talentos e inteligências naturais que uma pessoa possui, com o propósito de compreender o seu potencial e auxiliar em seu crescimento e autoconhecimento.

A Fisiognomia Não Analisa:

1. Caráter, índole ou conduta ética: A Fisiognomia não avalia se uma pessoa é honesta ou é desonesta, se possui um bom ou mau caráter, ou se é justa ou corrupta.

2. História de vida ou destino: A Fisiognomia não analisa o que a pessoa viveu no passado ou o que viverá no futuro. Não é advinhação e nem faz predições, é uma técnica. Algumas pessoas utilizam a teoria chinesa chamada Siang Mien de 3000 anos atrás e tentam aplicá-la ainda hoje sem considerar o seu avanço, sustentando crendices sobre ser possível saber o destino através do rosto, o que é determinista e não mais aceitável contemporaneamente por Fisiognomistas profissionais sérios em todo o mundo. No Brasil, boa parte da literatura sobre o tema é cópia de teorias ultrapassadas e não atualizadas para os dias atuais. Fisiognomia associado à advinhação é algo da época medieval e da antiguidade oriental.

3. Conhecimento, valores e crenças: A Fisiognomia não avalia o quanto uma pessoa conhece, no que acredita e nem os seus valores pessoais. Não permite “ler” a mente de outras pessoas ou saber o que pensam.

4. Tipo de personalidade: A Fisiognomia não define um tipo de personalidade, não encaixa e nem reduz as pessoas a um “tipo” predeterminado, como acontece em outros métodos de avaliação.

5. Cor ou raça: No século 19, o médico e criminologista Cesare Lombroso, inspirado na teoria da “Frenologia” criada por Franz Joseph Gall um século antes, buscou justificar uma teoria que tinha como objetivo qualificar ou desqualificar pessoas como superiores ou delinquentes para a sociedade. Ele, junto a diversos de seus contemporâneos (eugenistas) tentavam advinhar se uma pessoa representaria um perigo social e o estágio de evolução em que se encontravam, baseando-se em muito na teoria de Darwin e nas idéias escravocatas (racistas) da época.

Neste período, diversas ciências, entre elas: a medicina, a genética, antropologia, sociologia, direito e psicologia, foram utilizadas por cientistas, elite, governos e intelectuais como forma de defender idéias escravocatas, o racismo científico e o chamado Darwinismo Social.

Fruto de uma sociedade e elite preconceituosa, a teoria de Lombroso e as idéias eugenistas foram totalmente invalidadas pela ciência no decorrer do tempo. O fato de Lombroso ter tentado encontrar evidências físicas que distinguissem uma pessoa “dita” superior de possíveis delinquentes, fez com que as suas idéias fossem infelizmente associadas à Fisiognomia na época, embora ele tenha se baseado na Frenologia.

Pessoas leigas ou mal informadas, ao lerem o termo “Fisiognomia” até hoje a associam às teorias lombrosianas e eugenistas, sem considerar que a Fisiognomia, assim como a medicina, a sociologia, a psicologia, a genética e outras ciências evoluíram muito desde o século 19.

A Fisiognomia atual não considera que existam distinções entre pessoas de cor ou etnias diferentes, uma vez que os traços faciais e características comportamentais analisados são comuns a “todos” os Seres Humanos. Hoje, conhecer e praticar a Fisiognomia é um modo de combater e refutar o preconceito. 

 

Caso você tenha alguma outra dúvida sobre a Leitura Facial, por favor, envie-nos a sua pergunta através do nosso formulário de contato. Teremos o prazer em lhe responder.